quarta-feira, 30 de março de 2022

Serrote dos Targino, no Poço Branco Velho

Serrote dos Targino, hoje parcialmente submerso na represa da barragem; na parte posterior do serrote, não visível nesta imagem, existe a misteriosa Pedra da Mina, tudo isso no Poço Branco Velho - Imagem: Jorge Luiz Carvalho de Souza, publicada em sua conta do facebook

Este belíssimo conjunto de pedras, onde, em uma delas a natureza parece ter, caprichosamente, esculpido uma embarcação saindo das águas que corriam sobre o Pirapora, após as quedas das cachoeiras, com a harmonia sonora do itaipi, bem podia ter sido batizado de Serrote da Canoa, mas era conhecido por Serrote dos Targino.

Pedra da Mina era uma das pedras desse conjunto, que fica ao sul do serrote, portanto, não visível nesta imagem.

Ver uma imagem desta instiga a vontade de ver, algum dia quem sabe, um espaço publico planejado e estruturado, aberto às visitações: além de se manter vivo o cenário de um Poço Branco Velho que, aos poucos, vem se desbotando da memória das novas gerações, teria os visitantes, além da belíssima paisagem natural, as deslumbrantes imagens do pô do sol.

Agora imagine uma torre mirante, de onde os observares “viajariam” por grande extensão, na represa das águas que cobrem os balcões de areias brancas que outrora adornaram um poço que era fonte de vida de um povo chamado poço-branquence.


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Da passagem de João da Maia Gama, a serviço do Rei, por Taipu.

  DIÁRIO DA VIAGEM DE REGRESSO PARA O REINO, DE JOÃO DA MAIA GAMA, E DE INSPEÇÃO DAS BARROS DOS RIOS DO MARANHÃO E DAS CAPITANIAS DO NORTE...