sexta-feira, 3 de setembro de 2021

Poço Branco Velho e a Pedra da Mina





 Imagens do Poço Branco Velho - Fonte: o autor

 

É comum confundir Poço Branco Velho com o Jacaré, quando, de fato, eram duas comunidades distintas e ambas ficaram submersas com a construção da barragem.  Poço Branco Velho ficava ao norte do Rio Ceará Mirim e a, aproximadamente, 2 km, em linha reta, da parede da barragem, já o Jacaré, ficava ao sul do dito rio, e à nascente de Poço Branco Velho, ambas as comunidades se situavam no Taipu Grande.

Na construção da barragem três comunidades foram removidas do curso da represa: Poço Branco Velho, Jacaré e Contador, essa última, mais ao poente, foi transferida para o norte, enquanto Poço Branco Velho e o Jacaré, transferidas, formaram a atual sede do município de Poço Branco.

As belezas naturais de Poço Branco Velho continuam a encantar, a Pedra da Mina é exemplo. Vale conhecer a região e, quem sabe, o poder público venha a estimular a visitação ao local, tanto para apreciar a sua beleza quanto para preservar a história às futuras gerações. Se depender na natureza, o belo cenário continua lá, desafiando o tempo e instigando à imaginação a uma viagem ao tempo passado, com o apelo que não se perca o laço com aquilo que foi a origem da querida Poço Branco.

Visitando o local, lembrei-me da música “Dois Irmãos”, de Chico Buarque: ...É como se a rocha dilatada fosse uma concentração de Tempos...

Dois Irmãos, quando vai alta a madrugada

E a teus pés vão-se encostar os instrumentos

Aprendi a respeitar tua prumada

E desconfiar do teu silêncio

Penso ouvir a pulsação atravessada

Do que foi e o que será noutra existência

É assim como se a rocha dilatada

Fosse uma concentração de tempos

É assim como se o ritmo do nada

Fosse, sim, todos os ritmos por dentro

Ou, então, como uma música parada

Sobre uma montanha em movimento

(Chico Buarque – Dois Irmãos)


Arnaldo Eugenio de Andrade - 03/09/2021

 

 

2 comentários:

Da passagem de João da Maia Gama, a serviço do Rei, por Taipu.

  DIÁRIO DA VIAGEM DE REGRESSO PARA O REINO, DE JOÃO DA MAIA GAMA, E DE INSPEÇÃO DAS BARROS DOS RIOS DO MARANHÃO E DAS CAPITANIAS DO NORTE...