sábado, 2 de janeiro de 2021

Criação da Freguesia de Baixa Verde

 

Criação de Freguesia

13.XI.929

Fazemos saber que attendendo às prescripções do Codigo de Direito Canonico, cann! 216, 454 § 3º, 1427 §§ 1º, 2º, e, atendendo ainda aos graves encargos de nossa consciencia.no pastoreio de rebanho, que o Devino Espirito entregou aos nossos cuidados, a no pleno exercício da Nossa Jurisdição ordinária – Havemos por bem criar, como definitivamente criamos, a Parochia de Nossa Senhora Mãe dos Homens, de Baixa Verde, desta Diocese de Natal, que assim erecta. terá os mesmos limites civis do Município de Baixa Verde, que são os  seguintes: à leste partirá uma linha recta, do marco colonial, existente na freguesia, a um ponto, que fique a um kilometro do sul de Parazinho, e deste ponto outra linha recta até encontrar o rio do Ceará Mirim, no lugar conhecido por “Tronco”; ao sul, o mesmo rio Ceará Mirim, pelo seu [...], do referido lugar Tronco até a localidade de “Barra do Riacho da Milhã”, numa linha recta em direção ao “Buraco Licco” (?), que pertence à Baixa Verde, e dali seguirá pelos  antigos limites de Touros com Lajes, ficando a povoação de Canassú para o município de Lajes. O Rvmo Parocho da nova parochia procurará organizar o archivo parochial, pia batismal e tudo o mais o que os canones determinam. O presente Decreto será lido à estação da Missa parochial e registrado no livro Tombo da nova parochia, e bem assim nos das parochias limítrofes, Touros e Taipú. Dado e passado nesta Episcopal Cidade de Natal, sob signal e sello de nossas armas, aos 13 de novembro de 1929,

(...) Marcolino, Bispo de Natal.

 

Fonte:

Arquidiocese de Natal, Livro de Decretos e Portaria nº 10, pág. 7v e 8.


 

sexta-feira, 1 de janeiro de 2021

A 1ª procissão de Taipu

Transcrição:
        

O padre José Esteves Vianna

Da povoação do Taipú, do município e freguezia do Ceará Mirim, nos foi enviado, para ser publicado, o abaixo assignado que segue:

Illm. e Rvd. Sr Padre José Esteves Vianna. – Os serviços prestados por V. Rvd. ao culto Divino que é a Religião estabelecida, especialmente à nós abaixo assignados moradores no districto de Taipú da freguezia do Ceará Mirim, são altos e grandiosos, e faltaríamos ao nosso dever se, retirando se V. Rvd. para a provincia de Pernambuco, não dessemos um publico testemunho à V. Rvd. do nosso respeito, admiração e reconhecimento. Os trabalhos emprehendidos por V. Rvd. e sob sua exclusiva administração, já com relação ao Cruzeiro e ao aceio da capella, para com a devida decencia terem lugar os actos religiosos, sobrelevam aos affeitos produzidos no espirito desta população pelos edificantes sermões que, durante o tempo quaresmal se sérvio V. Rvd. de pregar, ouvindo V. Rvd. nesses dias para mais de 260 fieis no tribunal da penitencia.

A par de todos esses serviços e trabalhos, que os abaixo assignados consideram relevantes e meritorios, está a haver V. Rvd. obtido do Exm. Rvd. Diocesano, nosso muito amado prelado, permissão para que, pela primeira vez tivesse lugar a procissão do Encontro, acto este que foi feito com toda a decencia e devida solemnidade.

E, já que foi V. Rvd. quem essa graça obteve pedem-lhe os abaixo assignados, que se digne de apresentar ao Exm. e Rvd. Sr. Bispo os seus eternos agradecimentos.

Desejando a V. Rvd. perfeita saúde, e viagem prospera e feliz, esperam os abaixo assignados, que V. Rvd. Acceite a presente demonstração de estima e alto respeito que os abaixo assignados, fieis interpretes de seus sentimentos, depositam nas mãos de V. RVd.

Taipu, 6 de Abril de 1885

(Seguem-se 184 assignaturas).

(Do Correio do Natal).

 

Duas questões:

Onde seria o “Cruzeiro” ao qual o texto faz referência?

Quem seria os donos das 184 assinaturas?

 

Fonte:

Jornal do Recife, edição de 26/08/1885, pág. 2.

 

Da passagem de João da Maia Gama, a serviço do Rei, por Taipu.

  DIÁRIO DA VIAGEM DE REGRESSO PARA O REINO, DE JOÃO DA MAIA GAMA, E DE INSPEÇÃO DAS BARROS DOS RIOS DO MARANHÃO E DAS CAPITANIAS DO NORTE...