terça-feira, 11 de janeiro de 2022

Eugenio de Andrade e Vitorino de Andrade, mesma origem genealógica

Alexandre Vitorino de Andrade (ou Alexandre José de Andrade, conforme consta no seu assento de casamento em primeiras núpcias), filho de Vitorino José de Andrade e de Faustina Maria do Espírito Santo, viúvo por falecimento de Maria Inácia da Conceição, casou-se em segundas núpcias, aos 06/05/1879, na Igreja Matriz de Ceará Mirim, com Francisca Maria de Andrade, filha legítima de Eugenio Pereira de Andrade e de Maria Joaquina das Candeias; consta no assento de casamento que os nubentes foram dispensados dos impedimentos por parentesco em segundo grau igual, ou seja, eram primos legítimos, assim, constata-se que Eugenio Pereira de Andrade e Vitorino José de Andrade eram irmãos; sendo os nubentes primos legítimos, tinham avos em comuns, que eram João José de Azevedo e Theodora Maria da Conceição; a esses avós em comuns, cheguei pelo assento de casamento de Eugenio Pereira de Andrade com Maria Joaquina das Candeias, realizado no Sítio Russo Velho, Freguesia de Sant'Ana do Matos do Assu, aos 23/05/1838. 

João José de Azevedo e Theodora Maria da Conceição eram meus 4º avos, pela linhagem de Eugenio Pereira e Maria Joaquina.

 

Assento de casamento de Eugenio Pereira de Andrade com Maria Joaquina das Candeias, cerimônia realizada no Sítio Russo Velho, Freguesia de Sant'Ana do Matos do Assu, aos 23/05/1838 - Fonte: Livro de Assentos de Casamentos da Paróquia de Santana do Matos, Livro nº 2, do ano de 1833 ao ano de 1857, pág. 45.


Diração do Santa Cruz, anos de 1980

 Direção do Santa Cruz, anos de 1980 - Imagem: acervo do Santa Cruz

Uma recordação da direção do Santa Cruz, Arisco do Barbosa, 1ª metade da década de 1980, em frente ao antigo Estádio Prefeito Geraldo Lins - Geraldão; A bandeira  verde, vermelha e branca, cores que representavam o Santa Cruz, à época; Da esquerda para a direita: Marcos Barbosa, Agripino (in memoriam), Arnaldo Eugenio, Dimas Calisto e Sebastião Ferreira.

 

sexta-feira, 31 de dezembro de 2021

O Sacristão K-Ximbinho


Sobre Sebastião Barros, nosso K-Ximbinho, um fato pouco divulgado é que ele foi sacristão da Igreja Matriz de Nossa Senhora do Livramento, de Taipu, conforme informa o Almanak Laemmert, edição de 1929.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2021

Santa Cruz

 
Santa Cruz, Campeão Municipal de 1995 - Imagem: acervo do Santa Cruz

 

Santa Cruz, do Arisco dos Barbosa, Campeão Municipal de 1995, tinha como técnico o saudoso Elviro, um dos grandes desportista da cidade.

sábado, 18 de dezembro de 2021

Seu Celso e Dona Elza

Seu Celso Alves da Rocha e sua esposa Dona Elza Moraes da Rocha - Imagem: acervo pessoal de Margarete Bandeira.

 

CELSO ALVES DA ROCHA, filho primogênito do casal Adão Marcelo da Rocha e de Luiza Querubina do Nascimento, nasceu em Taipu aos 18/07/1915; casou-se com Elza Moraes da Rocha, filha de Antônio Miguel Filho e de Maria Regina Soares; do matrimônio de Seu Celso e Dona Elza brotaram os filhos: Ana Maria, Antônio Moraes, Elza, Lúcia de Fátima e Walquíria.

Seu Celso, além de bem sucedido fazendeiro, foi o maior comerciante de Taipu, na primeira metade da década de 1970; o comércio, era o que hoje chamamos de Atacarejo, ou seja: vendia no atacado e no varejo; em relação ao seguimento comercial, vendia de tudo, como se dizia na época: armarinho, cereais, bebidas, materiais para construção; produtos farmacêuticos; combustíveis; secos e molhados. O prédio do comércio de Seu Celso, no largo do Mercado Público, que segundo ouvi do meu pai, serviu primeiramente à usina de descaroçamento de algodão de Theophilo Furtado, continua ainda hoje, com muito da preservação original, como testemunha da imponência da época.

Seu Celso também participou da política, foi vereador e candidatou-se a vice prefeito no pleito de 07/12/1952, tendo como companheiro de chapa Antônio Soares da Rocha (não confundir com o sogro Antônio Alves da Rocha); a chapa não saiu vitoriosa naquele pleito, perdendo para os concorrentes Tamires Miranda e Gabriel Campos.

Na manha do dia 23 de dezembro de 1976, aos meus 14 anos, estudante em Ceará Mirim, assim como toda Taipu, fomos surpreendidos pelo noticiário dos rádios que davam conta do falecimento de Celso Alves da Rocha, tio do deputado Magnus Kelly; o jornal “O Poti”, na edição nº 02146, divulgou o seguinte:

O comerciante Celso Alves da Rocha, 61 anos, que residia à rua Coronel Eugênio, 582, em Taipu, ingeriu grande quantidade de formicida marca Andrex, diluída em água. Chegou a ser socorrido por familiares, mas morreu quando era transportado para o hospital Walfredo Gurgel.

O corpo, depois de examinado pelos legistas da polícia, foi levado para a cidade de Taipu, onde ocorreu o sepultamento na tarde de ontem.

A vítima, tio do deputado Magnus Kelly, era comerciante naquela cidade. O fato aconteceu em sua própria residência e os familiares nada sabem explicar, pois o mesmo, além de não deixar nenhuma carta ou bilhete, não se encontrava em dificuldade financeira.


sábado, 11 de dezembro de 2021

Família BARBOSA DA SILVA

Arquivo PDF - Click aqui 

 

Cesarino Barbosa da Silva, bisneto de João Barbosa da Silva e Clementina Maria da Conceição, aos 79 anos, um guardião da memória do Barbosa da Silva - Imagem: o autor

Da passagem de João da Maia Gama, a serviço do Rei, por Taipu.

  DIÁRIO DA VIAGEM DE REGRESSO PARA O REINO, DE JOÃO DA MAIA GAMA, E DE INSPEÇÃO DAS BARROS DOS RIOS DO MARANHÃO E DAS CAPITANIAS DO NORTE...